O que é o câncer?

Neoplasias são “novos crescimentos” anormais do tecido que se desenvolvem mais rápido que os tecidos normais adjacentes, de uma maneira descoordenada e persistente. Esses “novos crescimentos” podem ser malignos ou benignos, mas o termo Câncer é geralmente restrito aos crescimentos malignos.

A carcinogênese é um processo que ocorre em múltiplas etapas, em que as células, gradativamente, vão adquirindo características de malignidade por meio de uma série de alterações genéticas progressivas e cumulativas.

As causas primárias do câncer ainda não estão totalmente esclarecidas, mas as neoplasias surgem em decorrência de mutações genéticas espontâneas ou induzidas por agentes patogênicos.

Atualmente, reconhece-se um grande número de agentes carcinogênicos, como metais, radiações, vírus, radicais livres de oxigênio, inflamações crônicas e xenobióticos (como tabaco, álcool e pesticidas), entre outros que promovem alterações no ciclo celular, ocorrendo excesso na taxa de proliferação e deficiência nas taxas de morte celular.

De acordo com dados estatísticos, hoje o câncer é a principal causa de morte em cães e gatos e os pacientes idosos, em geral, são os mais acometidos. Entende-se que quanto mais o animal vive, maior a exposição do organismo a agentes carcinógenos do meio ambiente, ou à combinação com fatores como tipo de dieta, efeitos hormonais ou predisposição genética. Assim aumenta a probabilidade de o organismo acumular alterações moleculares responsáveis pela multiplicação celular desordenada.

De acordo com a literatura, 80% das neoplasias malignas têm origem em estímulos ambientais, em decorrência da exposição a carcinógenos químicos e físicos, ou a vírus causadores de câncer.